terça-feira, 27 de abril de 2010

Maranharte Informa: Rumos Literatura - Itaú

Itaú Cultural e o Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho de São Luis/MA convidam

Literatura digital, poesia, prosa e a crítica literária são temas dos mini-cursos promovido pelo Itaú Cultural em parceria em São Luis no Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho, dias 27 e 28 de abril de 2010. O objetivo da atividade é discutir o panorama da atual produção literária e suas relações com a crítica literária. Veja abaixo, em Serviços, como se inscrever.

A atividade faz parte do programa Rumos Literatura 2010-2011, que neste ano abre inscrições para projetos na área de ensaios em produção ou crítica literária. As inscrições para o edital irão até 31 de julho de 2010. Saiba tudo sobre o edital no site www.itaucultural.org.br/rumos. Consulte também o blog http://rumositaucultural.wordpress.com/.

Palestrantes
- Heloisa Buarque de Hollanda (Ribeirão Preto/SP). Escritora, professora de Teoria Crítica da Cultura da UFRJ, coordenadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea (http://www.pacc.ufrj.br/) e Curadora do Portal Literal (http://portalliteral.terra.com.br/). É autora de livros como: Impressões de Viagem; O Feminismo como Crítica da Cultura; Guia Poético do Rio de Janeiro e Enter, uma antologia digital.

- Flávio Carneiro - http://www.flaviocarneiro.com.br/ (Goiânia/GO). Escritor, roteirista, crítico literário, professor de literatura da UERJ e autor de doze livros, entre contos, romances, crônicas, ensaios e novelas para crianças e jovens. Escreveu também dois roteiros para cinema. Seus livros mais recentes são o romance A Confissão e o livro de crônicas Passe de Letra: futebol & literatura, ambos publicados pela Editora Rocco.

Programação

- terça, 27 de abril
das 14h às 19h
LITERATURA DIGITAL, com Heloisa Buarque de Hollanda
As novas tecnologias e a internet estão impactando de forma radical as formas de se fazer e de se pensar a criação literária, a autoria, a leitura e até mesmo o futuro do livro. Este mini-curso vai abordar algumas dessas questões já presentes no dia a dia dos escritores e na atuação dos leitores e editores.

- quarta, 28 de abril
das 14h às 19h
CRÍTICA & FICÇÃO NO BRASIL: UMA LEITURA DO PRESENTE com Flávio Carneiro.
O propósito do curso é discutir algumas questões sobre o exercício de uma crítica literária que se arrisca a falar não apenas de obras e autores canônicos mas do que está sendo produzido hoje no Brasil na área de ficção. Os princípios norteadores dessa crítica, seus critérios, seus recortes são alguns dos pontos tratados, juntamente com a apresentação de um mapeamento da ficção brasileira atual.

Serviços - como se inscrever e local
DATAS: 27 terça e 28 quarta de abril de 2010
HORÁRIO: das 14h às 19h, nos dois dias. Entrada franca.
LOCAL: Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho - Auditório Rosa Mochel - Rua do Giz, 205, Praia Grande - São Luis/MA

Observações importantes:
a) as inscrições devem ser feitas com antecedência somente através do e-mail rumos.sl@gmail.com. Atenção! apenas 50 vagas por dia.
b) no corpo do e-mail para reservar a vaga os interessados deverão mencionar: nome completo; telefone; e-mail; o dia da atividade de interesse (quem desejar pode se inscrever para os dois dias). Se for estudante ou professor, mencionar o nome da faculdade e curso.
c) Certificados serão fornecidos para quem cumprir ao menos 75% da carga horária

terça-feira, 20 de abril de 2010

Maranharte Informa: II Encontro de Estudos Literários

Informativo do Encontro:


Por entender que as discussões acerca do universo literário são importantes instrumentos para a dinamização do estudo de Literatura no Curso de Letras, a turma 2007.1(atual sétimo período) deste mesmo curso da Universidade Federal do Maranhão promove, com grande satisfação, o II Encontro de Estudos Literários, com o título Regionalismos e o Cânone Nacional. Tal evento tem como objetivo proporcionar um espaço onde as questões que versam sobre a Literatura Brasileira, abrangendo desde os escritores de destaque regional até os consagrados em nosso Cânone literário, sejam apresentadas e discutidas.

Dessa forma, esperamos que o II Encontro, a exemplo do primeiro, possa continuar a despertar e amadurecer a importância do estudo de Literatura em nossa vida acadêmico-profissional e que contribua de maneira significativa na construção de nosso saber literário.


Divulgarão a nossa literatura:


12/05/10 (Quarta-feira)


Auditório Mário Meireles

9h30min. – Conferência de Abertura:

· A Formação do Cânone Nacional

Prof. Dr. Sebastião Moreira Duarte (UFMA/AML)


10h30min. às 11h45min. – Mesa-Redonda 1:

· A Literatura Maranhense de Expressão Feminina

Profª. Ms. Dinacy Mendonça Correia (UEMA) (Coordenadora da Mesa)

Profª. Priscila da Conceição Viegas (UEMA-Itapecuru)

Prof. Anderson Roberto Correia Pinto

Profª. Luisa Karoline Campos Santos


Auditório Mário Meireles

17h às 19h30min. – Minicurso:

· O Romantismo e a Formação do Cânone Nacional

Prof. Dr. Dino Cavalcante (UFMA)


13/05/10 (Quita-feira)
Hall do CCH

8h – Café Literário:

Poeta Nauro Machado

Prof. Esp. José Neres (FAMA)

Prof. Esp. Antônio Ailton (SEEDUC)


Auditório Mário Meireles

11h30min. – Comunicações Estudantis


Auditório José Ribamar Caldeira

11h30min. – Comunicações Estudantis


Auditório Mário Meireles

14h às 15h – Palestra 4:

Euclides da Cunha e Coelho Netto: dois olhares regionalistas

Prof. Luís Fernando Ribeiro


15h30min. às 17h30 – Oficina:

· Introdução à leitura de Coelho Netto

Prof. Esp. Claunísio Amorim Carvalho


17h30min. – Atração Cultural

Espetáculo “Tímon” – Performance Poética com o Grupo Cena Aberta.


18h30min. às 20h30min. – Minicurso:

· O Romantismo e a Formação do Cânone Nacional

Prof. Dr. Dino Cavalcante (UFMA)


14/05/10 (Sexta-feira)
Auditório Mário Meireles

9h10min. às 11h – Comunicações Estudantis


11h15min. às 12h – Palestra 5:

· A Presença de Odylo Costa Filho na Lírica Moderna

Profª. Ms. Dinacy Mendonça Correia (UEMA)


Auditório José Ribamar Caldeira
9h10min. às 11h – Comunicações Estudantis


11h15min. às 12h – Palestra 6:

· O Lugar de Nascimento de Moraes na Literatura Maranhense

Profª. Esp. Natércia Moraes Garrido (FAMA)


Auditório Mário Meireles

15h30min. – Conferência de Encerramento:

· Um Olhar sobre a Literatura Maranhense no século XX

Prof. Esp. José Neres (FAMA)

Hall do CCH


16h30min. – Encerramento: Coquetel e Entrega de Certificados.


Inscrições: 12/04 a 11/05/10

Inscrições de trabalho: 12/04 A 07/05/10

Informações: leel2007.1@hotmail.com

(98) 3301-8351/ 8842-8845

Local de inscrição: Sala de apoio 2 (CCH-UFMA)

Valores:

Graduandos (sem apresentação de trabalho) – R$ 10,00

Graduandos (com apresentação de trabalho) – R$ 15,00

Graduados (sem apresentação de trabalho) – R$ 20,00

Graduados (com apresentação de trabalho) – R$25,00


O Maranharte agradece a organização por ter enviado o material promocional do evento e lhes deseja todo sucesso neste encontro.
Aos internautas avisamos que a programação geral ainda não estar disponível no blog do encontro. Posteriormente, também publicaremos as comunicações que falarão sobre a Literatura Maranhense.

sábado, 17 de abril de 2010

Maranharte Indica: O Rei Touro e outras lendas maranhenses, de Jomar Moraes



fonte: O documentário "A Ilha de Dom Sebastião" foi filmado em 2002, na Ilha dos Lençóis, na costa do Maranhão. A obra possui vinte minutos de histórias e lendas do nosso Maranhão (encontramos este resumo). A ilha, que já foi considerada a maior concentração de albinos do mundo, é povoada por pessoas que se consideram descendentes de Dom Sebastião, rei de Portugal que desapareceu numa batalha no Marrocos em 1578. O vídeo é uma co-produção da TV Câmara com a produtora Câmera 4 Comunicação e Arte, com a direção de Marcya Reis e Ivan Canabrava. Em 2006, "A Ilha de Dom Sebastião" levou dois importantes prêmios no 29º Festival Guarnicê de Cinema e Vídeo de São Luís (MA): Melhor Documentário da Mostra Refestança e Troféu Guarnicê de Melhor Argumento para a roteirista Marcya Reis, da TV Câmara. Pedimos desculpa aos realizadores e aos leitores por apresentar essa cópia com a qualidade de imagem não muito boa, muito aquém das imagens registradas pela produtora Câmara 4.


Assim como o bumba-meu-boi, o sebastianismo não existe somente no Maranhão. O “nosso” sebastianismo destacou-se por sua singularidade, marcado por um Dom Sebastião que se desloca para uma terra árida, um espaço insular, a Ilha dos Lençóis. Este ser encantado tornou-se uma referência para um conjunto de práticas instituídas nas pajelanças, nos terreiros de mina e nas diversas narrativas construídas e compartilhadas.

Em 1980, o pesquisador e romancista Jomar Moraes publica O Rei Touro e outras lendas maranhenses , obra que, como o próprio título afirma, discorrerá sobre as principais lendas do folclore maranhense. É uma obra que por vezes recorre aos fatos históricos para radiografar como se adicionou os componentes ficcionais na cultura popular da nossa terra. Assim, teremos algumas lendas que envolvem personalidades da nossa história, como; a lenda do Palácio das Lágrimas, da Carruagem de Ana Jansen, do João de Uma, dentre outros. Outra temática é a religiosidade, não só cristã (lenda de São José de Ribamar, de Nossa Senhora do Livramento, etc.), mas também de origem africana e indígenas. São lendas seculares, que brotaram em nossa terra, ou através de “causos” inventados no dia-a-dia ludovicense ou trazidos por imigrantes e aqui receberam uma roupagem nova.

Para Jomar Moraes; “A lenda de D. Sebastião é, sem a menor dúvida, a que mais estranhamente penetrou na alma maranhense, inspirando cantadores de boi, compositores populares, poetas, romancistas e pintores.[...] Registra-se ainda, pela significação cultural de que se reveste, a importância atribuída a D. Sebastião nos “terreiros” maranhenses e nos circuitos do bumba-meu-boi, em que são comuns as todas com referências ao rei e aos mistérios que envolvem de beleza e fascínio sua aliciante figura." ( MORAES, 2008, p. 26)

O El-Rei D. Sebastião recebe um capítulo à parte na obra (que teve uma segunda edição em 2008, pela editora Ética), em que o autor aproveita para fazer algumas considerações sobre a origem portuguesa na lenda, a vinda desta lenda para o Maranhão e sua adaptação. Sabiamente, o pesquisador também recorre a depoimentos, (como a de D. Mariazinha que diz incorporar O Rei Sebastião) e algumas produções poéticas que se inspiraram nesta lenda (como a Balada da Praia dos lençóis, de Bandeira Tribuzi)

Ó touro Sebastião

refugiado no mar,

mágico da morte isento

dono da praia exemplar,

amargo senhor imerso

na forma a desencantar.

Touro sagrado na testa

por alva estrela sagrada?

Que madrugada suprema

te tocará a intocada

carne ferida sem toque

de morte de fria espada?

Trecho de Balada da Praia dos Lençóis

De Bandeira Tribuzi.

Caso você tenha curiosidade em saber mais sobre a lenda de São Sebastião e sua relação com a literatura maranhense, estamos disponibilizando Os Filhos da Lua: Poéticas Sebastianistas na Ilha dos Lençóis-MA, dissertação de Mestrado de Joel Carlos de Souza Andrade. No capítulo IV intitulado “Os Contos e Cantos da Memória”, o mesmo analisa a memória em torno da crença sebastianista de Lençóis e como se configura e se dispersou nos contos literários. Clique AQUI.

Obs: você precisar ter o programa Adobe Reader instalado em seu computador para ver o trabalho citado acima. Caso não o tenha, clique AQUI.